#RESENHA: Maysa – Só Numa Multidão de Amores

333

Hello, Lady and Gentleman.

Prazer estar aqui, nós três. Eu, você e eu.

Continuando a sequência das Resenhas Biográficas, citadas no Post Anterior – Clique e Confira

“De repente tudo se ilumina. Como uma curva na estrada sob os faróis de um carro, a sala se acende. Tudo se ilumina com a presença magnética de uma mulher que se aproxima de mim pedindo desculpas pelo atraso. Sua maneira de me apertar a mão me liberta instantaneamente da inquietação. Só sei que não vai ser fácil escrever sobre ela. Vejo apenas dois olhos diante de mim.”
Fernando Sabino – Jornal do Brasil
Como escrever uma resenha de uma biografia, sendo ?
Recebi “Maysa – Só numa multidão de amores” do meu querido e estimado Adriel pelo correio. Estava finalizando “Uma vida muito além das expectativas” e essa luz em forma de livro adentrou pelas mãos do carteiro.
Um presente de aniversário adiantado.
Na hora fiquei mortificada, aos prantos.
Nascia ali, antes mesmo de sair da caixinha de papelão, apenas no vislumbre da lombada, o pequeno projeto das três biografias em sequência – ainda falta a do inesquecível Tim Maia, como foi citado no post anterior -.
Porém, minha pretensão não me permitiu um olhar coerente sobre isso.
Repito: como resenhar sendo fã?
Sem resposta, me valho das citações, amores profundos e uma boa dose de “tietismo“.
E que comecem os trabalhos:
Maysa Só Numa Multidão de Amores
Maysa – Só Numa Multidão de Amores e Maysa – Quando Fala o Coração.
Maysa- só numa multidão de amores inspirou a série belíssima, exibida pela Rede Globo em 2009Maysa – Quando Fala o Coração -. O programa de televisão não arranhou – sem fugir à regra dos livros serem melhores que as adaptações para TV – um décimo da compilação de Lira Neto.
Abusando sem medo dos fatos obscuros, o autor fez jus à cantora que se baseava em excessos para tentar – sem êxito, ou quase nenhum – se completar.
06 de julho de 1936, em Botafogo/RJ, vem ao mundo Maysa. E, apenas a título de curiosidade, seu peculiar nome vem da junção de Maria Luysa, amiga de infância de Inah, sua mãe.
Peculiaridade será recorrente nessa mulher incrível e de absurdo talento.
Transgressora e sem papas na língua, galgou sucesso na cara, na coragem, voz e olhos. Verdes. Intensos. Indescritíveis.
Casou, foi mãe, separou-se, viveu, desapareceu, ressurgiu. Tudo de forma inacreditável.

“Maysa, você não existe.”

Afirmou Ricardo Galeno. Primeira crítica de Maysa. Assim. A seco. Ela derreteu.

Maysa Monjardim
Maysa – Só Numa Multidão de Amores 
E ela foi julgada, viu? Nossa!
Fato: ela não era nenhuma florzinha. Xingava, reclamava. Tinha a postura sempre muito rígida. Era tachada de arrogante, por seu permanente olhar penetrante, queixo erguido, ficando o olhar na lente. Entretanto, tudo se dava para enfrentar o nervosismo. Além das duas doses de uísque. Sim ela bebia. Muito. Contudo, não inicialmente.

Sucesso, dinheiro, pobreza, ostracismo. Povoada de “se meu mundo caiu, eu que aprenda a levantar“, a rainha da fossa brincava de extremos. Gorda demais. Magra demais. Abstêmica. E fatidicamente embriagada.
Certa vez, perguntaram-lhe sobre a bebida. No alto de sua irreverência sarcástica, disparou:

“- bebo – primeiro porque quero. Depois porque trabalho para pagar o que bebo. Finalmente, porque tenho senso de autocrítica. Muitas vezes reconheço-me insuportável e eu só suporto os insuportáveis bebendo.”

Controle? Nem na TV. Em preto e branco. Mas que traçava o colorido dos ouvidos apaixonados e angustiados.

“Ouvi e vi Maysa cantando na TV. Seu talento e sua voz são coisas que já nem se discutem. Mas seus olhos são qualquer coisa de maravilhoso, refletem toda a beleza e grandiosidade interior que há em Maysa”

Odete Lara – atriz – jornal Última Flora.
E eu concordo com ela.
Vendo seus vídeos, enxergando a melodia que emanava dela, posso afirmar sem susto: eu conheço a dor.
Um fato que me chamou a atenção: certa vez, em meio a tristezas, numa das muitas tentativas de suicídio, foi prestigiar a amiga – e cantora quem era fã declarada – Elizeth Cardoso e afirmou uma de suas frases mais célebres e autodescritivas:

“Meu maior desejo era ser homem, preto, pianista e bêbado. Como vocês sabem, não consegui ser homem, negro nem pianista. Porém ainda tenho um sonho: ser Elizeth Cardoso.”

Quem conseguiria se descrever de forma tão magnifica, precisa e divertida?
Apenas ela. Maysa.

Falar de suas cicatrizes – externas e internas -, de seus incontáveis amores frustrados, erros, projetos falidos, suas falsas promessas de fim de carreira é apenas chover no molhado, uma vez que resenho sobre uma biografia. Essas coisas todas estão implícitas e muito bem estruturadas na obra de Lira Neto. E, para agradecer essa eloquente viagem, cito, solta, uma frase fabulosa do autor, que mesmo fora de contexto, cai como uma luva à cantora de amores frustrados:

“…Contudo, descansar não era um verbo que combinasse com um terremoto em forma de mulher chamado Maysa…”

Porém ela descansou. Um fim de sábado, datando 22 de janeiro de 1977, ironicamente sóbria  – quantas vezes dirigiu bêbada? – Maysa partiu. Deixou apenas sua obra: muito trabalho, porém pouco, para quem realmente sabe ouvir e compreender o insano, o perverso e sobretudo o incompreensível.

Se eu recomendo? Sim ou claro? Decida você.

“Maysa é um símbolo de ressurreição. Fortemente deprimida quando deixou de cantar, não esperava que tivesse força suficiente para refazer sua vida. E eis que surge uma mulher mais do que bonita, e mais forte do que antes. Reconstruiu-se tornando-se a mais palavra em todas. Quem já se ergueu várias vezes das cinzas sabe como é ao mesmo tempo, difícil e impossível, a própria reconstrução”
Clarice Lispector – 1969.
Anúncios

1 comentário

  1. Érica · março 25, 2015

    Fiquei curiosa para ler, a série de TV só consegui ver uns pedaços mas o livro não vou deixar passar…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s